<body leftmargin="0" topmargin="0" marginwidth="0" marginheight="0"><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d8817177\x26blogName\x3dJardim+da+Mel+%26+Nani\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://jardimdamel.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://jardimdamel.blogspot.com/\x26vt\x3d1521647230723580123', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
quinta-feira, dezembro 30, 2004
A vida

(Mário Quintana)
"A vida são deveres, que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas! Quando se vê, já é sexta feira...
Quando se vê, já terminou o ano.
Quando se vê, passaram-se 50 anos!
Agora, é tarde demais para ser reprovado...
Se me fosse dado, um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando, pelo caminho, a casca dourada e inútil das horas... Dessa forma, eu digo: não deixe de fazer algo que gosta devido à falta de tempo.
A única falta que terá, será desse tempo que infelizmente não voltará mais."

QUE EM 2005 FAÇAMOS NOSSO PRÓPRIO TEMPO! E SEJAMOS FELIZES!

Feliz 2005!
terça-feira, dezembro 28, 2004
Sobre o Natal...


Na semana passada estaa marcado o almoço de confraternização aqui do escritório na quinta dia 23.
Eu planejei tudo, corri com o trabalho, viria aqui e gastaria meu tempo mandando cartões virtuais aos amigos que fiz nesses últimos meses,, mas deu tudo errado.
Acabei nem indo ao almoço, pq um primo faleceu no dia 23, e ai teve o velório, essas coisas desagradáveis em véspera de Natal.
Estive aqui apenas para pegar os cheques para os pagamentos da semana, pq meu chefe viajaria na segunda, com filha a tiracolo (ela iria ao almoço comigo), o marido sem saber (ficou sabendo faltavam 40 minutos para o sepultamento) e acabei deixando de desejar à vocês um feliz natal.
Então, espero que o Natal de vocês tenha sido bom, iluminado, muita alegria.
O meu nem foi tanto, ele só não foi adiado por causa das crianças, imaginem só.
O mais triste desta história toda é que o pai desse primo faleceu a exatos 3 meses. Uma parte da família está arrasada, e vamos tentando levar a nossa vida, pq tristeza demais não faz bem a ninguém.
Por isso, desculpem a minha ausência, e minha falta de confraternização neste Natal, mas sei que vocês entenderão.
Se por acaso eu não voltar a postar aqui nesta semana, quero que tenham um Feliz Ano Novo, com muita paz, saúde e felicidade.
Beijos!

terça-feira, dezembro 21, 2004
Falsidade


Sempre fui sincera.
E é verdade que odeio rótulos.
Não tenho inimigos, apenas porque não consigo odiar alguém a ponto de considerá-lo tal.
Tive um conflito a um tempo atrás, verdade que por bobeira, mas nunca fui falsa.
Comigo funciona assim, seu eu te disse uma vez que te amava, foi a mais pura verdade, até porque não digo issso a qualquer um(a).
E para mim, ter um conflito com uma pessoa não me autoriza a ficar falando dela por ai.
E por que eu sou assim, ainda espero que as pessoas sejam honestas o bastante e façam o mesmo. Não guardo mágoa, isso não existe em mim, não é falso.
Se eu tiver de falar algo sobre você, pode ter certeza que será você a ouvir, e não terceiros.
Se não gostei da sua atitude, irei me reportar à você, não irei reclamar a ninguém mais.
Se deixa de existir amor ou amizade, nem por isso vou falar isso ou aquilo da pessoa.
Acabou? Acabou. Fim. The end.
Ninguém vai ouvir de mim (ou ler) palavra qualquer que seja exigindo posição a favor ou contra, ou até mesmo comentários maldosos sobre a pessoa.
Se eu fizesse isso, estaria sendo desleal COMIGO. E é a mim que devo lealdade. Aos meus princípios. Eu tenho sim.
As pessoas quandoo brigam e falam mal uma da outra, muitas vezes contando até segredos (quando os tem), acho um horror isso.
Nesses meus 38 anos de vida, posso contar nos dedos de uma única mão as pessoas com as quais briguei.
A primeira foi profissional, mas eu a perdoei a muito tempo, além de não conseguir me atingir na época, ainda hoje busca uma amizade que não posso oferecer. Ofereço colaboração, amizade, não.
Uma, foi virtual e brigou sozinha, mas nunca me conheceu pessoalmente, me julgou por poucas palavras trocadas. Vem dai o meu desdém por rótulos. Não me conhece, como me julgar? hahaha.
Outra, uma amiga querida, que passou por um problema triste, a causa da briga foi segredo de estado entre eu e ela, mas foi resolvido lindamente, porque assim devem agir pessoas que se amam.
E a mais recente, gerou muita tristeza, mas, sabendo hoje que eu nunca representei nada na vida dela, vejo que essa tristeza foi em vão. Como ficar triste por algo que nunca existiu? E isso nem é colocar em dúvida amizade/ amor, é fato registrado e lido.
Para bom entendedor um pingo é letra.
Eu entendi. Seja feliz.
Gente, aproveitei esse "clima" de Natal para escrever isso aqui, e para que vocês não tenham vergonha de amar alguém, seja ele amigo, namorado... Mas digam à pessoa que ela é importante pra você. O amor faz muito mais bem que mal.
E amor nunca, mas nunca é demais.
Feliz Natal para todos, muito amor, paz, saúde e felicidade em vossos corações.



segunda-feira, dezembro 20, 2004
Votos de Natal

Não tem jeito.
Essa semana vai ser pouco para tanto que tenho a fazer.
Então, caso não volte aqui a postar nesta semana, gostaria de desejar Um Feliz Natal para todos, que seja iluminado, como esse poema que vou deixar, desconheço o autor, pois recebi pela net, caso você saiba, é só me comunicar para que eu coloque os créditos.
Muitos beijos, mas antes que esse ano termine eu volto!

Ainda Vou Ser Toda Sua
Ainda que o tempo passe e você ache que nunca mais, eu vou ser toda sua.
Ainda que não lembre meu gosto e não reconheça meu rosto, ainda que evite pensar.
Ainda que nesse momento você não se sinta capaz, eu vou ser toda sua.
Ainda que esteja sem força, a água secando na boca, ainda que tema se olhar.
Queira, acredite, me aguarde: eu vou ser, de verdade.
Ou eu vou ser toda sua ou não me chame...
Ainda que essa ventura pareça distante demais, eu vou ser toda sua.
Ainda que me imagine dos outros, prazer e alegria dos outros e maldiga a hora em que me desejou.
Queira, acredite, me aguarde: eu vou ser sua, de verdade.
Ou eu vou ser toda sua ou não me chamo,ou não me chamo....

Felicidade!!!



quinta-feira, dezembro 16, 2004

Bagunça de final de semana
Esse é o quarto da Bia.
A primeira é Mariana, minha sobrinha, a Jesus Cristo de rosa (braços abertos) é a Cecília, filha da minha amiga, e o garotão (sempre o único entre as meninas) seu irmão Henrique.
E claro Beatriz.
Essa foto foi feita nesse final de semana.
Mas como algumas pessoas pediram para postar as paredes, resolvi colocar esta mesmo.
As paredes internas eu pintei, no fundo, o azul no muro.
Sim, ganhei minha primeira digital.
Aguardem fotos em breve.
Beijos!!
terça-feira, dezembro 14, 2004
Falta de educação

Eu ainda fico pasma.
Estamos prestes a comemorar o Natal, o que envolve muito mais do que troca de presentes.
Presentear para mim é um ato de amor, porque significa que a pessoa é importante para você.
Aqui é um escritório, temos uns 200 clientes.
Destes, apenas alguns presenteiam todos os funcionários (22 ao todo), uns 2 ou 3, o restante ou não dá nada, ou presenteia aquela pessoa com a qual tem mais contato, normal isso.
Pois bem, eu tenho um cliente aqui, um senhor de quase 80 anos.
Ele faz questão de presentear todos, da faxineira ao encarregado de setor.
Com peças de cristais. Isso mesmo Cristal.
E todo ano ele me pede uma relação de funcionários por cargo. E eu faço com prazer.
Trabalho aqui a 20 anos, e todas as peças de cristal que tenho em casa ganhei dele.
Então, ele trouxe hoje, estava aqui, sentado me esperando quando cheguei.
Resolvi distribuir hoje mesmo.
Teve uma pessoa que não quis.
Isso mesmo. Disse: Não quero "isso" na minha casa.
"Isso" era um cinzeiro de cristal trabalhado.
"Isso" foi o mesmo que os boys e a recepcionista ganharam.
O cliente sabe que todos eles não fumam, mas é uma peça para decoração, entende.
A pessoa não é evangélica não, muito pelo contrário.
É mal educada mesmo.
Por que ela viu o que as outras pessoas ganharam, achou pouco, que merecia mais.
Detalhe: Ela não tem contato nenhum com esse cliente, mas mesmo assim ele fez questão de presentea-la. Essa pessoa é a faxineira.
Nós já decidimos o que fazer com o presente dela.
Vamos dividir as despesas postais (pq é pesado!!!) e enviar à antiga faxineira, que hoje mora em Alcântaras, no Ceará, que sempre recebia seu presente com um sorriso nos lábios e com certeza vai saber valorizar o verdadeiro espí­rito de Natal, que é a comunhão, a união, o amor e a fraternidade.
Beijos a todas!
Obs: Eu ganhei um jogo de copos, lindo demais para ser usado no dia-a-dia, mas que estará em lugar de destaque na minha casa. Mas poderia ser o cinzeiro. Tenho alguns pintados a mão em casa que uso como decoração, nunca faria uma grosseria dessas.


sexta-feira, dezembro 10, 2004
Ô semana poderosa!

Gente, nem acredito que a semana enfim acabou.
De bom nessa, somente o blogshow que a Mah fez.
Estou mais enrolada que barbante, e, para não vir amanhã, estou levando trabalho para casa.
Mas vou desenrolar esse barbante, me aguardem!
Beijos e um ótimo final de semana para todas!
quinta-feira, dezembro 09, 2004
Oi Mel, querida... está aí seu novo blogshow.... espero que tenha gostado, eu fiz com muito carinho.

Vc foi umas das pessoas mais legais que conheci através do blog... gosto muito de vc! Te desejo um Feliz Natal e boas festas tá?

Beijocas,

Mah


Nota da Mel®©: Amei Mah, obrigada!
E que história é essa de Feliz Natal? Férias?
:o)
segunda-feira, dezembro 06, 2004
Retornando

Estou retornando à senzala hoje.
Sexta feira não vim trabalhar, fiz mamografia, passei na ginecologista...
Falar em mamografia, foram 2 horas para fazer o exame com compressão, quase perdi a outra consulta.
Nunca tive os peitos amassados tanto, e com tanta intensidade na vida.
Não sei pq esse povo de laboratório teima em achar que a cicatriz da primeira cirurgia é mais um nódulo, e nem adianta preencher formulário, mostrar, apareceu na imagem como sendo mais um... como se já não bastasse ter outro, dois é demais, sai de mim!
Resultado somente após o dia 16, mas sigo tranquila porque sei que é benígno, como o que eu tirei em 1998.
Vida que segue.
E como desgraça pouca é bobagem, sabado do nada, meu tornozelo começa a doer. Parecia que os ossos iriam se deslocar.
Resultado? Estou linda de morrer, com tornozeleira de atleta (háháhá, essa foi a pior!). Ainda tenho dor, mas eu sou resistente a ela, nemme abalo. Vou sobreviver a isso também.
Mas nem só de notícias ruins se vive, ontem fui à praia!!! Eba!
Aproveitei dois fatores, eu já estava no litoral mesmo, e o domingo foi de sol intenso.
Claro que me queimei.
Queimei não, torrei. rss.
Boa semana para vocês, eu, estou de volta à senzala, muito trabalho.
Abraços!

quinta-feira, dezembro 02, 2004
Vocês sabem guardar segredos?

Eu sei.
Guardei durante 15 anos um segredo bem cabeludo de uma amiga de infância.
Durante esse tempo todo, não contei à ninguém, nem ao marido, afinal o segredo era dela.
Nesses anos, tive alguns desentendimentos com ela sim, mas não contei.
Fraguei contando algo secreto meu a quem eu não me dava bem.
Mesmo assim, não contei.
Ontem, em uma conversa informal, me disse que outras pessoas do nosso convívio sabem.
E desconfiou adivinha de quem?
Agora me digam: Se eu soube guardar durante 15 anos, mesmo nos momentos mais críticos (porque eu acho o cúmulo você contar os podres do outro só porque teve desentendimentos, porque amanhã pode voltar às boas com a pessoa, e como fica a sua índole?), pois bem, se eu guardei isso durante todos esses anos, porque ráios eu iria contar para alguém agora?
As pessoas as quais eu confio meus segredos (e a ela não, pq ao contrário de mim, ela conta!) são pessoas que confio e que confiam em mim.
Se duvidou da minha capacidade de "armazenamento de dados ultra-secretos" não confia em mim.
Ela deve ter dado com a língua nos dentes. As outras pessoas podem ter jogado. Mas ela preferiu achar que fui eu.
Não contei. E nem vou contar, nem mesmo aqui, embora ela não leia blogs.
Enterrei esse assunto, e junto com ele, minha capacidade de tolerância com certas pessoas que embora convivam comigo diariamente, não são dignas da minha confiança.